Buteco em casa: Conar cobra ética do Gusttavo Lima por beber em lives

continua após a propaganda

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) abriu uma representação ética contra as Lives de cantor Gusttavo Lima, “Buteco em casa” e “Buteco Bohemia em casa”. As Lives transmitidas pelas redes sociais nos dias 28 de março e 11 de abril foram um sucesso. A intenção das Lives foi de levar entretenimento para as famílias que estão em quarentena e principalmente conseguir arrecadação para doação para pessoas necessitadas nesse período de quarentena.

O investimento dos cantores em lives, repleta de patrocínios, é um reflexo do momento em que a sociedade vive, como forma de prevenção contra o coronavírus. O Conar destaca os formatos inovadores de se fazer propaganda, mas considera que “ela deve ser conciliada com os princípios fundamentais da comunicação comercial do segmento, com a divulgação responsável de bebidas alcoólicas e sem fragilizar os cuidado para que não seja difundida ao crianças e adolescentes”.

Sertanejos em suas Lives, por considerar canções de “sofrência” acabaram exagerando no uso de bebidas alcoólicas. Buteco em casa
Mas o que causa repercussão mesmo entre os seguidores destes artistas é a descontração dos sertanejos, com todos bebendo sem parar, chegando mesmo a ficarem embriagados e protagonizarem cenas constrangedoras. Gusttavo Lima abriu sua live com um letreiro em que convocava os cachaceiros em três línguas diferentes. Depois, claramente alcoolizado, não conseguia terminar de preparar um arroz carreteiro, sendo chamado de Ana Maria Braga pelos fãs.

Não se tem nada contra estes eventos, mas também deve-se fazer uso da recomendação do Ministério da Saúde, ou seja, beber com moderação. Vale ressaltar que o alcoolismo mata por ano mais pessoas no Brasil do que todas as drogas ilícitas reunidas. Os artistas como formadores de opinião, devem se conscientizar da influência que têm sobre muitas pessoas e deveriam evitar exemplos tão negativos. Buteco em casa

Gustavo Lima disse: “Acho que o grande segredo da live é tirar o lençol do fantasma. Acho que uma live engessada e politicamente correta não tem graça. O bom são as brincadeiras, à vontade, levar alegria alto astral para as pessoas que estão agoniadas nesse momento. Não farei Live para ser censurado”. Disse o cantor.

Ainda no Twitter, Gusttavo Lima fez um desabafo ao dizer que existem pessoas que preferem criticar, em vez de observarem o que ele, e outros colegas, têm arrecadado para boas ações.
“Os artistas estão procurando uma forma de interagir com os fãs e com o público em quarentena por meio das lives. Estamos prestando um grande serviço social por meio dessas lives. Além de shows ao vivo, estamos arrecadando e fazendo doações para entidades e pessoas carentes que neste momento passam por extrema necessidade. Estamos dividindo as nossas intimidades, mostrando ao público como é nossa vida fora dos palcos, compartilhando momentos únicos! Àqueles que só criticam e não ajudam em NADA, vai um conselho: não precisam ajudar, mas não atrapalhem quem está procurando ajudar nossos irmãos necessitado”, escreveu o cantor. Buteco em casa

Realmente o que Gusttavo Lima e outros cantores tem arrecadado em suas Lives tem ajudado milhares de famílias que vem sofrendo passando necessidades nesse período de pandemia. Mas o que incomodou a muitos foi o excesso. Lives muito boas, bons cantores, famosos e com muitos seguidores, Lives bem organizadas, cenários bonitos e sempre conscientizando o público ao uso de álcool em gel e máscaras e evitar aglomeração.

Fãs dos cantores tem usado as redes sociais para associar as Lives ao BBB, já que nas festas os brothers extrapolam nas bebidas alcoólicas e mostram cenas de filmes com extrema embriaguez. Buteco em casa

Buteco em casa
Buteco em casa x BBB Globo – imagem das redes sociais

Talvez você goste

Fique ligado! Receba conteúdos exclusivos para você